As artes e os ofícios de um letrado afro-diaspórico: Eliseu César (1871-1923)

Petrônio Domingues, Solange Pereira da Rocha, Elio Chaves Flores

Resumo


O artigo reconstitui fragmentos da vida de Eliseu Elias César (1871-1923), um intelectual afro-diaspórico que circulou por diferentes regiões do Brasil. Em todas elas, manteve uma vida profissional polivalente, desenvolvendo seus “talentos” como advogado, jornalista, político, poeta e orador. Procura-se destacar as experiências proativas de um negro que se apropriou das “artes de dizer” pela escrita e oralidade, assim como pela ação política e agência associativa, travando embates na esfera pública e participando de governo e grupos republicanos. A trajetória de Eliseu César sugere a importância de se revisitar as interpretações históricas que subestimaram, ou mesmo negligenciaram, o papel do negro na cena histórica republicana. Assim, ao descortinar e problematizar aspectos da vida desse personagem, o artigo procura lançar luz sobre as complexidades, tensões, lutas e ambiguidades relacionadas à afirmação da cidadania negra no Brasil pós-abolição.

Palavras chaves: Negro. Intelectual. Afro-diáspora. Primeira República. Pós-abolição. 


Palavras-chave


negro - intelectual - afro-diáspora - Primeira República - pós-abolição.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/aa.v0i60.25317

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 


ISSN 0002-0591 (impresso) | 1981-1411 (online)