A vulnerabilidade da alforria e o recurso à Justiça na Bahia Setecentista

Kátia Lorena Novais Almeida

Resumo


O artigo discute a precariedade da liberdade por meio da experiência de homens e mulheres que recorreram à Justiça na vila de Rio de Contas no Século XVIII.  Sabe-se que as fronteiras entre escravidão e liberdade eram tênues e que a prerrogativa de alforriar cabia a cada senhor. Ainda assim, escravos e libertos apelaram à Justiça a fim de resolver conflitos em torno da alforria e manutenção da liberdade, e interessa aqui entender em que circunstâncias isto se dava, quem eram os sujeitos que a ela apelavam, e como os advogados envolvidos nessas causas de liberdade respaldaram suas defesas.


Palavras-chave


escravidão; Alforria; Precariedade da liberdade; Rio de Contas, Século XVIII.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/aa.v0i51.17658

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


    Afro-Ásia. Salvador, Bahia, Brasil 0002-0591/1981-1411